sexta-feira, 17 de maio de 2013

Acelga

Acelga - Beta vulgaris - Mediterrâneo
 

A acelga é um hortícola que pertence à espécie Beta vulgaris. A acelga é originária da bacia do mediterrâneo. Acredita-se que tenha vindo a ser utilizada tanto como alimento como medicamento, desde a pré-história.

Pensa-se que este hortícola fosse valorizado já na Grécia Antiga, pois foi citado por filósofos como Aristóteles (384 aC – 322 aC).
No século VIII, o cultivo da acelga era frequente na China, daí difundiu-se para o resto da Ásia. Ainda hoje é um ingrediente-chave da culinária de diversos países do Extremo Oriente.
Na Europa, a acelga começou por popularizar-se, especialmente na França, a partir da Idade Média.
Na atualidade, pelo facto da acelga ser cultivada em zonas temperadas, encontra-se amplamente difundida a nível mundial, podendo encontrar-se diversas variedades, entre elas a acelga crespa, que ostenta folhas verde-escuras, talo branco e um gosto que se assemelha ao do espinafre; a acelga branca que apresenta talos largos e folhas verdes; e a acelga japonesa de folhas justapostas e fechadas, com cor amarelada na base e miolo e verde-clara nas bordas.
Em Portugal a acelga encontra-se disponível para consumo entre Outubro e Junho.
 
Informação Nutricional
 
A acelga, à semelhança dos restantes hortícolas, é pobre em energia e rica em água. Destaca-se também o seu teor em vitamina C, cálcio, fósforo, potássio e fibra. Tabela de composição nutricional (100g de porção edível)
 

g = grama
mg = miligramas
Porção Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios.
Fonte: Lima D, Colugnati F, et al. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. São Paulo: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação; Universidade Estadual de Campinas. 2006.


Vantagens e desvantagens
 
A acelga é um hortícola com interesse para a saúde, devido ao seu perfil nutricional. As quantidades apreciáveis de fibra e água contribuem para o normal funcionamento do intestino e para a regulação dos níveis plasmáticos de colesterol, o que contribui para a melhoria da função intestinal e cardiovascular, respectivamente.
O potássio desempenha um papel importante na regulação da tensão arterial, no equilíbrio dos fluidos corporais e na contração muscular. O aporte diário de potássio poderá estar limitado em casos de insuficiência renal.
A acelga fornece quantidades apreciáveis de vitamina C, um antioxidante que favorece o sistema imunitário, auxiliando o organismo na proteção contra infeções, e a produção do colagénio, uma proteína que faz parte de várias estruturas do nosso organismo, como a pele, tecido conjuntivo, cartilagem e tendões.
O cálcio e o fósforo intervêm na formação e manutenção da saúde óssea e dentária, assim, são importantes durante a infância e adolescência para assegurar um crescimento e desenvolvimento adequados; e na idade adulta, para a manutenção das massas ósseas e dentárias e para a prevenção das suas perdas.
O fósforo contribui também para o bom funcionamento do sistema imunitário e auxilia a regeneração de tecidos.
 
Como comprar e conservar
 
Adquira a acelga fresca, com folhas polidas, brilhantes, viçosas e com uma consistência firme. Evite a acelga que apresente um talo mole, com pontuações negras, folhas amareladas ou com manchas escuras, pois estes são sinais de deterioração.
No frio, a acelga conserva-se crua ou cozinhada durante 3 a 4 dias.
Se pretender congelar a acelga, mergulhe as suas folhas em água a ferver e, seguidamente, coloque-as num recipiente com água gelada, de forma a interromper o cozimento. Posteriormente, armazene-a no congelador num recipiente hermeticamente fechado
 
 
Veja também:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...