segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Bodybutter caseiro (creme de corpo)

20170909_133519700_iOS.jpg

Como já devem ter reparado, tenho diversificado os temas que trago aqui para o blog. Não, as receitas não vão desaparecer! Mas a verdade é que tenho muitas outras dicas relacionadas com um estilo de vida mais saudável, sustentável e natural para partilhar com vocês que não têm a ver directamente com a comida. 


Hoje trago-vos mais uma receita de um produto cuidados pessoas caseiro - bodybutter, ou seja, uma manteiga corporal. Uma manteiga corporal é um creme hidratante muito intenso, à base de óleos. É óptimo para peles secas e sabe especialmente bem agora com a chegada no frio. É uma maneira de manter a pele suave e hidrata a longo prazo, pois este tipo de produtos vão sendo absorvidos mais lentamente que o cremes habituais e nutrem a pele.

Confesso que era viciada nas bodybutter de compra de todos os cheiros possíveis. No entanto, comecei a analisar detalhadamente os seus ingredientes...e percebi que tinham mais químicos e ingredientes sintéticos do que naturais. Então, comecei a fazer a minha própria alternativa e garanto-vos que vão adorar! :) Esta body butter é perfeita para ser aplicada depois da máscara de argila e algas.

Ingredientes:
  • 1/2 cup de manteiga de cacau derretida 
  • 1/2 cup de óleo de grainha de uva
  • 1/2 cup de óleo de coco derretido
  • 1 CS de óleo de jojoba (opcional)
  • 1 CS de vitamina E líquida 
  • 10 gotas de óleo essencial de alfazema (opcional)

cats.jpg

Método:

1 - Derreter o óleo de coco e a manteiga de cacau em banho-maria. Uma vez líquidos, juntar os restantes óleos e misturar.
2 - Colocar os óleos num recipiente e levar ao frigorífico durante 20-30 min, ou até ficarem ligeiramente firmes ao toque.
3 - Bater os óleos com uma batedeira ou então com uma varinha mágica, até ficarem com uma consistência aveludada e cor esbranquiçada. Guardar num frasco de vidro ou cerâmica bem fechado, fora do frigorífico.

NOTA: dependendo da temperatura ambiente, a body butter pode solidificar. Neste caso, basta retirar uma noz, aquecer com as palmas das mãos e aplicar normalmente sobre a pele. 

20170909_133433700_iOS.jpg

domingo, 1 de outubro de 2017

O poder do chá de folhas de framboesa na gravidez

Imagem relacionada
O chá de folhas de framboesa trata várias doenças e, actualmente, é especialmente utilizado durante a gravidez. 

Planta nativa da Europa e da América do Norte, a framboesa é utilizada no formato de chás (preparado a partir de suas folhas) há milhares de anos. O chá de folhas de framboesa tornou-se um tratamento natural e popular para diferentes tipos de doenças e, actualmente, é especialmente utilizado durante a gravidez.

Apesar da não existência de estudos científicos que atestem os supostos benefícios à saúde da mulher durante a gravidez, este chá é considerado um remédio natural que ajuda a tonificar o útero e promover a saúde uterina das gestantes.

Benefícios das folhas de framboesa

Imagem relacionada

A folha de framboesa contém diversas vitaminas e minerais essenciais à nossa saúde. Os nutrientes incluem a vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E, cálcio, ferro, fósforo e potássio, que auxiliam no fortalecimento e tonificação do útero, além de melhorar a saúde em geral e proporcionar o bem-estar.

Existem alguns depoimentos de mulheres afirmando que as propriedades das folhas de framboesa ajudam no ritual do parto, no entanto, devido à falta de pesquisas científicas, tais recomendações podem ser questionadas.

Devido às suas propriedades, o chá das folhas de framboesa também é popularmente conhecido como uma das bebidas de ervas para a fertilidade. Alguns dos principais motivos para o uso deste chá são os seguintes: ação que prolonga a fase lútea, contribuindo para uma espessura ideal do endométrio; fortalecimento do útero; e prevenção do aborto espontâneo.

Imagem relacionada

O chá de folhas de framboesa durante a gravidez

É fundamental consultar o médico antes de incluir este chá em sua dieta. Existem muitas opiniões divergentes sobre a quantidade de chá que deve ser consumida e sobre o início do tratamento. Apenas um especialista poderá indicar um remédio natural com segurança.


No geral, recomenda-se a ingestão de uma xícara do chá de folhas de framboesa por dia no início da gravidez, mas lembre-se que existem opiniões diferentes e que as suas necessidades são únicas.

Como preparar o chá?

O chá pode ser encontrado em folhas in natura ou em saquinhos prontos. Para preparar uma xícara de chá com as folhas soltas, basta seguir os procedimentos a seguir:

1) Primeiramente, é necessário adquirir um infusor de chá ou um saquinho de chá reutilizável;
2) Ferva a água e despeje-a na xícara;
3) Espere um minuto e, em seguida, adicione duas colheres das folhas no saco de chá reutilizável ou no infusor de chá;
4) Deixe mergulhado na água quente pelo período de 10 minutos;
5) Retire o saquinho de chá e adoce de acordo com a sua preferência.

Benefícios do Nori, a alga do sushi, para a saúde

benefícios do nori para a saúde

A alga nori é uma das algas mais populares do mundo. Isto é porque ele é utilizado na preparação do famoso prato japonês, o sushi. O que o tornou popular por toda parte do mundo. A verdade é que, além de suas qualidades gastronómicas, o nori oferece várias propriedades benéficas para a saúde.

As algas são plantas de água doce ou salgadas que têm ciclos de vida como as plantas terrestres. É bom notar que, nascem, crescem, reproduzem e morrem sem a intervenção de processos de plantios ou irrigação.

Benefícios do Nori, suas propriedades e usos  benefícios do nori para a saúde

O QUE É O NORI?

Nori é um termo japonês usado para referir-se a uma variedade de algas comestíveis de várias espécies. O nori (Porphyra) é uma espécie ou tipo de algas pequena, com aparência característica e uma cor que muda dependendo do processo utilizado, por exemplo: A cor do nori varia, e pode ser completamente verde, marrom ou preto mesmo. Quando ele é cozido sua aparência é verde, enquanto que a sua cor quando seca torna-se preta. O pó seco chamado aonori nori nori é literalmente verde, e é usado como tempero em pratos comuns como okonomiyaki e yakisoba.

Nori, em comparação com outras variedades de algas, como wakame ou kombu, tem um tamanho menor. É uma forma característica, já que têm dobras, e sua cor é vermelha porque não vive na superfície do mar. Ele fica a poucos metros abaixo do nível do mar e não desenvolve muitos cloroplastos para a sua fotossíntese, daí a sua cor avermelhada.

A PRODUÇÃO DE ALGAS DO NORI

O Nori é um desidratado preparado a partir de algas vermelhas do gênero Porphyra. Há muito nori no Japão e na China. Nesses países existem sofisticadas fazendas marinhas envolvidas na produção destas algas, que crescem em ambientes controlados em alta velocidade (45 dias são suficientes para que as algas nori cultivadas sejam colhidas). Uma vez colhidas, as algas são lavadas e moídas em tiras muito finas, que são pressionados em moldes, para se obter a espessura seca da folha de nori, como folha de papel. Também é comum que os produtores individuais do nori torrado acrescentem outros condimentos para torná-lo ainda mais requintado.

PROPRIEDADES E BENEFÍCIOS DO NORI PARA A SAÚDE

nori e seus beneficios para a saúde

O Nori é rico em iodo:  Tal como acontnori e seus beneficios para a saúdeece com a maioria das algas, sendo muito rico em iodo é útil para a prevenção do bócio e hipotiroidismo.
O Nori combate o Colesterol alto:  Se estão altos os níveis de gordura no sangue (colesterol e triglicéridos), a alga nori ajuda a regular os níveis de colesterol e prevenir problemas cardiovasculares.

O Nori é rico em proteínas: Destaca-se por seu alto teor de proteínas, como mais do que um quarto do seu conteúdo é composto de proteínas.

O Nori contém altos níveis de minerais como potássio, fósforo, magnésio, ferro e iodo.

O Nori é rico em Vitaminas: Ambas as vitaminas do complexo B (B1, B2 e B3), que ajudam o bom funcionamento do sistema nervoso. Também se destaca por seu alto teor de pró-vitamina A (beta-caroteno), ajudando a manter a pele saudável. Retém metais pesados, promovendo assim, a sua eliminação.

COMO DISTINGUIR NORI DE BOA QUALIDADE?

Deve estar seco e em forma de folha.
Você deve observar se estar com uma cor brilhante.nori e suas propriedades
Quando incidir sobre ele luz deve ser verde.
A textura do Nori deve ser homogênea.
Nota: É preferível escolher a versão orgânica.

COMO USAR O NORI?

nori e suas propriedades

Aqui estão algumas maneiras de como você pode adicionar o nori em nossas refeições:

– Misturado : Adicionar misturado com outros legumes e verduras.

– Em patês vegetal: Adicionar cozido, desidratados ou hidratado em qualquer patê vegetal.

– Em saladas: O hidratado, adicione à saladas.

– Em sopas e purês: Adicionar ao disparar no último momento ou cortado em tiras e adicionar pouco antes de servir. (uma delícia!)

– Em bolas de arroz: Corte uma folha em quadrados. Em seguida, fazer bolas de arroz e cubra cada bola com dois quadrados de algas (um abaixo e um acima). Em seguida, cole bem e dar a forma redonda.

– Flake: Não há necessidade de fazer nada. Polvilhe simplesmente em qualquer prato.

– Em forma de pasta: nori é consumida na forma de pasta temperada com molho de soja chamado Noritsukudani.

O Nori é rico em proteínas:  Destaca-se por seu alto teor de proteínas, visto que, um quarto do seu conteúdo é composto de proteínas.
O nori tem alta quantidade em minerais  como potássio, fósforo, magnésio, ferro e iodo.

Vitaminas: Ambas as vitaminas do complexo B (B1, B2 e B3), que ajudam o bom funcionamento do sistema nervoso. Também se destaca no seu alto teor de pró-vitamina A (beta-caroteno), ajudando a manter a pele saudável.
Retém metais pesados, e assim, promove a sua eliminação.

COMO SABER SE O NORI É DE BOA QUALIDADE?

Deve estar seco, em forma de folha.
Você deve mostrar uma cor brilhante.
Para cuidar da luz deve ser verde.
A textura deve ser homogênea.
Nota: É preferível escolher a versão orgânica.

USANDO O NORI?

Aqui estão algumas maneiras que você pode adicionar o Nori em suas refeições:

Salteado : Adicionar a salteados com outros legumes e verduras.
Em pate vegetal: Add cozido, desidratados ou hidratado qualquer pate vegetal.
Em saladas:  O hidrato (impregnada) e adicione à salada, mas às vezes eu viver.
Em sopas e purês: Adicionar ao disparar no último momento ou cortado em tiras e adicionar pouco antes de servir. (Adoro!)
Em bolas de arroz: Corte uma folha em quadrados. Em seguida, fazer bolas de arroz e cubra cada bola com dois quadrados de algas (um abaixo e um acima). Em seguida, cole bem e dar a forma redonda.
Flake:  Não há necessidade de fazer nada. Polvilhe simplesmente em qualquer prato.
Em forma de pasta: nori é consumida na forma de pasta temperada com molho de soja chamado de Noritsukudani.

CONFIRA NO VÍDEO ABAIXO COMO SE FABRICA O NORI




Fonte:

10 Principais Tipos de Algas Marinhas Comestíveis


Assim como em terra firme o mar também tem sua vegetação, o nome que a caracteriza é alga ou planta marinha. Depois de inúmeros estudos foi descoberto que as algas marinhas não apenas produzem oxigénio, mas também possuem inúmeros usos para melhorar a saúde da pele, cabelos, ossos e músculos, acelera os processos metabólicos do corpo e facilita o emagrecimento.

Suas propriedades são tão incríveis que superam a quantidade de nutrientes presentes nos vegetais da terra. Também existem as algas comestíveis, ou seja, espécies de algas que podem ser usadas na alimentação. Elas são marinhas provenientes do oceano Atlântico e mares do Oriente e são divididas em 3 grupos: algas vermelhas, algas castanhas e algas verdes.

Normalmente elas são consumidas cruas ou cozidas e seu sabor é diferente, porém agradável. Além disso, elas podem complementar outros alimentos ou servir como prato principal.

As algas fazem parte da alimentação nas regiões próximas ao mar, mas ela se destaca principalmente na culinária dos países asiáticos como Japão (uso no sushi, por exemplo), Coreia e China.

Ficou curioso então veja abaixo os principais tipos de algas marinhas comestíveis.

1) Nori

Algas marinhas - nori

Algas marinhas - nori

Nori faz parte do grupo das algas vermelhas e tem como aspecto a coloração meio arroxeada, mas quando desidratada adquiri uma cor verde. No mercado ela é comercializada na forma de folhas bem finas e secas. Entre seus benefícios estão à grande quantidade de vitamina A e o fato de ter mais proteína que algumas carnes além de vários minerais. Um fato interessante é que ela pode ser cultivada, diferente das outras algas marinhas.

Na alimentação ela é usada para enrolar o famoso sushi e temaki, também pode virar geleia, ser polvilhada sobre o arroz, entre outros usos.

2) Ágar-ágar

Resultado de imagem para agar agar alga

Seu nome traduzido significa seu principal uso – gelatina. Ela faz parte de 8 tipos de algas vermelhas, possui baixa quantidade de calorias e é rica em vitaminas e minerais, pode diminuir a fraqueza corporal e ajudar a eliminar toxinas. No Brasil, é facilmente encontrada no nordeste, e são usadas para fazer gelatinas de frutas e vegetais.

Também podem ser utilizadas em maioneses, molhos, xaropes, pudins e geralmente é vendida na forma de pó e em pedaços.

3) Kombu

Resultado de imagem para kombu alga

Sendo bastante usada em todo mundo, Kombu é uma alga parda que pode chegar á uma altura de 2,5m. Normalmente é vendida em tiras, pedaços de folhas ou pó. Possui uma grande quantidade de fósforo, magnésio, cálcio, iodo além do ácido algínico.

Para a culinária pode ser combinada com arroz, massas e em pães.

4) Arame

Resultado de imagem para arame alga

Arame é uma alga bastante consumida no oriente, seu formato em arame faz jus ao nome. Um fator diferencial é o seu sabor mais doce e suave.

5) Hiziki ou Hijiki

Resultado de imagem para hijiki alga

Algas marinhas - hijiki

Hiziki é uma alga azul escura, com o formato de espaguete e sabor intenso. Seu principal destaque é a grande quantidade de cálcio – 14 vezes superior ao leite- além de ferro e proteínas.

Na alimentação ela é usada como complemento, podendo acompanhar cereais, saladas ou até salpicada em um prato. Para muitas pessoas essa é a alga mais difícil de digerir.

6) Dulse

Imagem relacionada

Suas características são a coloração vermelho escuro com tamanho até no máximo 50 cm, ainda seu maior atrativo são as grandes quantidades de minerais como ferro, potássio e vitamina C.

Seu cozimento é rápido, mas também pode ser consumida crua, seus principais usos são em saladas, sopas, molhos ou até em fritura.

7) Spirulina

Imagem relacionada

Spirulina é caracterizada pela cor azul esverdeada e é facilmente encontrada na forma de pó, pílula e comprimido. Para a saúde ela é uma grande fonte de antioxidante capaz de combater doenças como câncer, vitamina E e selênio.

Na culinária, ela serve para finalizar o prato, você pode polvilhar sobre o arroz ou sopas e também pode misturá-la com o sumo de laranja.

8) Musgo da Irlanda

Imagem relacionada

O musgo da Irlanda faz parte do grupo de algas vermelhas e tem um sabor suave quase neutro. Na alimentação ela é uma fonte rica de vitamina A, ácidos gordos e proteínas.

Na culinária, ela pode ser usada em saladas, purês e sopas.

9) Ulva ou alface-do- mar

Resultado de imagem para Ulva ou alface-do- mar

Alface-do- mar é extremamente rica em proteínas, vitaminas, fibras e ferro. Pode ser consumida tanto crua como cozida.

Na alimentação, é comum usá-la em salada e sopa. Para quem se interessou por esse superalimento, ela pode ser encontrada na forma desidratada em casas especializadas em produtos naturais ou orientais com um ótimo preço.

10) Wakamé

Resultado de imagem para Wakamé alga

algas marinhas - wakame

Sua coloração é num tom verde meio acastanhado com um sabor bem suave. Wakamé é super indicada para quem quer experimentar alga pela primeira vez por não ter sabor e textura tão característicos como as outras.

Suas principais propriedades são o alto teor de cálcio, minerais, proteínas e vitaminas A, B1 e B2.

Seu uso na alimentação é bem variado e inclui sopas como a miso japonesa, molhos, pizzas, saladas, bolachas e massas.

Veja também este programa que fala sobre os tipos e os benefícios das algas marinhas (36:38):




Fontes:



Vínculo: 

terça-feira, 25 de julho de 2017

Sementes de cânhamo – superalimento

semente-canhamo-3
O que são as sementes de cânhamo?
As sementes de cânhamo são a semente da planta da marijuana (cannabis sativa), mas não tem THC, por isso a sua utilização é totalmente segura.
As sementes de cânhamo são um superalimento com propriedades que o vão deixar mais saudável.
As sementes de cânhamo são ricas em:
Proteína de Cânhamo – 25% das sementes de cânhamo são proteína , o que faz delas um excelente suplemento para desportistas
Aminoácidos essenciais – as sementes de cânhamo contém 21 aminoácidos, 9 dos quais o corpo humano não consegue produzir. O óleo de cânhamo fornece todos os aminoácidos essenciais.
O consumo de sementes de cânhamo ajuda a produção de albumina sérica e globulina. E porque a produção destes dois compostos é importante?
A albumina sérica é a albumina mais abundante no plasma humano. Entre outras funções a albumina sérica é responsável pelo transporte das hormonas e dos ácidos graxos aos sítios certos.
Globulina – contêm a maior parte de anticorpos no sangue.
Por isso quando o corpo sofre alguma agressão externa, estes dois componentes precisam de estar em forma para poder combater as ameaças externas e ajuda a manter os níveis da albumina e globulina correctos.
A melhor forma de garantir que o nosso corpo tem os aminoácidos essenciais para produzir globulina é ingerindo alimentos ricos em proteínas globulinas, tal como as sementes de cânhamo.
Os ácidos graxos são essenciais para o crescimento, vitalidade e bom humor. As sementes de cânhamo são compostas por 35% de ácidos graxos, compostos por 55% ácido linoleico e 25% alpha-linoleico. O corpo humano não consegue produzir estes dois ácidos gordos.
As sementes de cânhamo descascadas, apesar de ter menos fibra do que as sementes com casca, conseguem ter mais aminoácidos
shelled-hemp-seeds
Factos sobre as sementes de cânhamo
100 gramas de sementes de cânhamo contém:
25% de proteína
35% de hidratos de carbono
35% ácidos gordos
O nível elevado de magnésio presente nas sementes de cânhamo ajuda a reduzir os sintomas pré-menstruais.
O consumo de sementes de cânhamo pode ajudar os problemas digestivos, insônias, depressão, ansiedade, dores musculares, dor de cabeça e hipotiroidismo.
Os ácidos linoleicos e alpha-linoleico são essenciais para converter a comida em energia. A falta destes dois ácidos gordos no nosso organismo pode causar problemas cardiovasculares, problemas de pele, pele seca, problemas nós rins, arritmia cardíaca. O ácido linoleico também contribui para a redução de problemas cardiovasculares, aumenta o HDL (colesterol bom), ajuda na prevenção do cancro da mama, sintomas de depressão e pré-menstruais.
As sementes de cânhamo também são ricas em antioxidantes, minerais, entre os quais fósforo, cálcio e ferro, vitaminas A, C, D , E é fibras.
Como comer sementes de cânhamo?
As sementes de cânhamo podem ser adicionadas a tudo. Podem ser polvilhadas nas saladas, batidos, iogurte e cereais. O seu sabor a noz torna-as num grande complemento a diversas receitas.
Para os que gostam de fazer pães ou bolos elas podem ser adicionadas a qualquer massa, mas para beneficiar das propriedades to cânhamo é melhor comer as sementes cruas.
óleo de cânhamo por sua vez é rico em gorduras boas e isso torna-o perfeito para adicionar a qualquer prato culinário. O óleo de cânhamo pode ser utilizado em diversas receitas: húmus, molho para saladas, vegetais…
Leite de cânhamo
vanilla-hemp-milk-3_edited-1
Outra maneira de comer as sementes de cânhamo é através do leite de cânhamo, que pode ser preparado em casa a partir das sementes descascadas.
Para fazer leite de cânhamo apenas precisa de: 1/2 copo de sementes de cânhamo, 3 copos de água, pano para coar.
Num liquidificador misture as sementes durante 90 segundos com a potência máxima. Com a ajuda do pano coe o leite e no final pressione o pano para aproveitar ao máximo a polpa das sementes.
O leite de cânhamo pode ser guardado entre 3 a 5 dias no frigorífico.
Veja também a receita de Brownie cru de cacau e cânhamo

domingo, 16 de julho de 2017

Jujuba

                       Ziziphus zizyphus

Jujuba (Ziziphus jujubas ou Ziziphus zizyphus) é uma planta da família das Ramnáceas. Originária da Ásia, está presente no Brasil da Bahia a São Paulo. É uma pequena árvore, originária das regiões quentes, também conhecida pelas designações vulgares de açofeifeira , jujubeira, açofeifa, açofaifa e açofaita.

Tem cerca de 6 a 12 m de altura; o seu tronco é tortuoso, possui ramos pendentes e providos de espinhos erectos, que se desenvolvem em grupos de dois; as folhas são oblongas, lustrosas, alternas e têm cerca de 3 cm de comprimento; e as suas flores são pequenas e apresentam uma coloração amarela. Os seus frutos, designados vulgarmente por açofeifa ou jujuba, são constituídos por drupas de cor vermelha por fora e amarela por dentro quando maduras, são doces e comestíveis. Cultiva-se no Algarve, Portugal, para o aproveitamento dos seus frutos, que podem ser consumidos quer em fresco quer em passa.

Da família botânica Rhamnaceae ou Espinheiro, eles são cultivados na China há mais de 4.000 anos.

Há pelo menos 400 variedades jujuba, desenvolvidos com sucesso pelas suas características distintivas, principalmente variedades melhores para comer frescas e outros para secagem para atingir uma consistência como a borracha.

Enquanto que as árvores jujuba são extremamente resistentes e podem prosperar mesmo em temperaturas extremas, com menos de oito centímetros de chuva por ano, eles preferem um ambiente ensolarado em áreas sombreadas.

As árvores Jujuba têm com folhas brilhantes verdes, flores de aparência modesta, e tamanho entre a uva e o morango que contêm uma única semente grande no centro. Isso os torna drupas (fruto carnoso de uma única semente).

A fruta Jujuba é vermelha por dentro e por fora, com uma textura crocante, a pele comestível, e um sabor doce-azedo, quase que um sabor a maçã. Quando maduro, elas podem ser armazenadas à temperatura ambiente durante cerca de uma semana.

Quando introduzida nos Estados Unidos no final dos anos 1800, propagou-se uma variedade significativa indicada para a secagem. Só na década de 1990 apareceu a primeira variedade de jujuba verdadeiramente saborosa para comer fresca  e foi esta importada para os EUA por um particular, e depois mais duas novas variedades em 2007.

As melhores variedades de jujuba frescas que pode procurar incluem a Sugar Cane, Li, Sherwood, Chico, and Honey Jar (este último teria o menor e mais suculento). As melhores variedades de secagem são Lang e Li Shanxi.

Variedades jujuba secas podem ser utilizadas para substituir maçãs em receitas. Apenas se deve descascar a fruta e retirar a única semente que existe dentro. A Jujuba também pode ser usada inteira em conserva ou usada para fazer chá.

Jujuba
Benefícios: 
A Jujuba contem uma grande variedade de nutrientes diferentes, incluindo magnésio, potássio, cobre, niacina, cálcio, manganês, fósforo e ferro. Contêm 20 vezes mais vitamina C do que qualquer outra fruta cítrica, fortalecendo o sistema imunológico no combate às infecções, e pode ser por isso que elas são utilizadas medicinalmente há milénios, em muitas culturas, como num chá para dor de garganta, por exemplo.

Estudos médicos descobriram que a fruta jujuba e os seus extractos têm a capacidade de ajudar a baixar a pressão sanguínea, inverter a doença hepática, ajudam no tratamento da anemia, e inibem o crescimento de células tumorais que podem levar à leucemia. Extractos de jujuba também são usados em produtos de cuidados da pele usados para diminuir as rugas, aliviar a pele seca, e tratar a dor queimaduras solares.

Como uma pequena fruta pode ter todos esses benefícios tem a ver não apenas com a combinação, mas também a complexidade de seus fito nutrientes. Os cientistas identificaram oito flavonóides na fruta da jujuba, incluindo spinosin e swertish, que têm propriedades sedativas – sem dúvida, pois as sementes da jujuba são usadas para tratar ansiedade e insónia na medicina tradicional chinesa.

O radical-fenol limpeza puerarin livre em jujubas ajuda a manter os níveis de colesterol na faixa normal e diminuir o risco de doença cardiovascular. A apigenina flavonóide (também encontrada em camomila, tomilho, e vinho tinto) contém antioxidantes, bem como propriedades anti-inflamatória e anti-tumorais, ajudando a reduzir o risco de cancro e de impacto positivo sobre o fígado, a digestão, e alergias.

Jujuba

Princípios Ativos

Ácido betulínico, betulina, ebelinlactona, flavonóides, jujubogenina, jujubosídeo, saponinas, vitaminas C, P.
Frutas: glúcidos, vitamina C, mucilagens;
Casca: taninos;
Folhas: glúcidos, taninos, ácido zizífico.

Propriedades medicinais

Analgésica, antialérgica, antioxidante, aperiente, calmante, demulcente, emoliente, sedativa.
Casca: adstringente, antidiarréico;
Folhas: adstringente, hipoglicémica;
Frutas: antidiarréico, tónico, demulcente, expectorante, laxante leve, depurativo, emoliente, aperiente, vitamínico.

Indicações

Falta de apetite, distúrbios do fígado, alergia de pele, dores gerais, hidratar a pele, prevenir envelhecimento precoce, suavizar linhas de expressão e rugas.

Frutas: taquicardia, insónia, transpirações nocturnas, ansiedade, ataques de histeria, constipação, convalescença, inapetência;
Casca: diarreias, ferimentos, eczema, faringite, estomatite, vulvovaginite, escoriações;
Folhas: diarréia, diabete, ferimentos, eczema, faringite, estomatite, vulvovaginite, escoriações.

Parte utilizada: Folhas, frutos.

Jujuba

Clima e solo: A jujuba chinesa é subtropical, adapta-se a regiões mais frias quando no estado dormente, tolerando até -50ºC. A indiana é subtropical.

Utilização: Deve ser consumida quando ainda firme, aparentemente verde. A utilização do fruto, além de ao natural, pode ser processado, em suco ou na forma de doce.

Modo de usar

Cremes hidratantes e máscaras: prevenir envelhecimento precoce da pele, suavizar linhas de expressão e rugas.

Uso interno: decocção de uma colher de sobremesa de folhas e casca para cada xícara de água. Ferver 5 minutos. Tomar quatro a seis xícaras um dia.
Uso externo: um colher de sopa de casca e/ou folhas em uma xícara de água, ferver 10 minutos e aplicar em forma de compressas, lavagem de roupas, colutórios, gargarejos ou irrigações vaginais, ferimentos, eczema, faringite, estomatite, parodontopatias, vulvovaginite, escoriações.

Jujuba

Valor nutricional da Jujuba

100 gramas (um pouco menos de ½ xícara) de jujuba fresco:
Calorias: 79 Kcal
Os hidratos de carbono: 20 g
Proteína: 1 g

100 gramas de frutas secas jujuba:
Calorias: 287 Kcal
Os hidratos de carbono: 74 g
Proteína: 4 g

Jujuba
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...